Otimização de imagens SEO com WordPress

10 min.
WordPress image SEO optimization

Pelo menos desde os Google Core Web Vitals e a velocidade de carregamento como fator de classificação, deves levar a questão da SEO para imagens a sério. Existem várias formas de otimizares as tuas imagens em WordPress. Aqui está a nossa visão geral com as dicas e ferramentas mais importantes.

Imagens, fotos, infografias e outras ilustrações tornaram-se parte integrante da escrita de artigos de alta qualidade. Elas não só tornam o texto mais leve como esclarecem alguns processos melhor do que as palavras o fariam. Com a abordagem certa, podes tornar o teu site ainda mais rápido, mas também mais visível aos motores de busca.

Textos SEO WordPress

Vou mostrar-te no meu tutorial Otimizar textos para motores de busca como preparares os teus blogues e landingpages para os motores de busca em geral. Juntamente com este artigo, reunes as dicas mais importantes para o teu SEO WordPress .

Além disso, o próprio Google, bem como os concorrentes dos serviços de pesquisa mais pequenos, oferecem uma pesquisa por imagem. Quem pesquisa pode chegar ao teu site através dela. Então porquê perder a grande oportunidade de SEO para imagens com WordPress?

Como é que a SEO imagens influencia a tua visibilidade?

Vamos olhar para a SEO imagens de forma independente do WordPress. Se incluires imagens de alta qualidade numa publicação, então poderás atrair a atenção de muitos/as visitantes. No entanto, não são apenas os motores de busca que desempenham aqui um papel. Se preparares as tuas imagens adequadamente, isto pode influenciar vários aspetos.

Por um lado, aumentas significativamente a tua visibilidade, porque as tuas imagens podem ser encontradas nos próprios motores de busca - não apenas no teu texto. Alguém poderia encontrar o caminho para o teu site através disto. Queres ver um pequeno exemplo?

A pesquisa por imagens no Google

Eu uso a pesquisa do Google e digito o termo "receita de massa". Mas como não quero apenas uma receita em forma de texto, mudo para a pesquisa por imagens. São-me agora apresentados belos pratos de massa:

Pesquisa de imagens no Google
Encontrar uma receita com o Google Imagens

Gosto muito da terceira foto da esquerda. A massa parece realmente deliciosa. Por este motivo, clico na imagem e depois aterro na página correspondente que se empenhou na SEO de imagens.

Por isso, se usares corretamente a otimização de imagens para motores de busca, podes abordar muitas pessoas adicionais. Mas isso é apenas um exemplo entre muitos.

As redes sociais

Porque as imagens não só influenciam os motores de busca, mas também as pessoas. E onde estão as pessoas ativas todos os dias? Nas redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram, Pinterest, LinkedIn e outras.

Vamos continuar com o exemplo de cima. Digamos que diriges um blogue sobre comida. Quão bom seria se os/as visitantes que encontraram a tua receita partilhassem o artigo correspondente nas redes sociais? Então, iriam clicar no botão de partilhar no Facebook, por exemplo. E se não houver uma imagem do artigo decente disponível ou devidamente integrada, os/as visitantes verão uma imagem muito deprimente, ou seja, nenhuma.

Nestes moldes, um artigo não convida a clicar ou a partilhar. Pelo contrário, o artigo ficará perdido na imensidão da redes sociais - e não será considerado. Somente se uma imagem adequada for exibida ao lado do texto, isso aumentará significativamente a atratividade:

Compartilhe na imagem do Facebook
Exemplo de imagens integradas para partilha no Facebook

Para um blogue sobre comida, por exemplo, não deves usar imagens que consistem principalmente de conteúdo de texto. As pessoas esperam a receita pronta. No entanto, de vez em quando eu ainda escolho imagens de texto. Eu explico porquê na próxima secção.

Onde obter imagens de alta qualidade?

Com imagens de alta qualidade, há muitas vezes um pequeno problema. Um problema de natureza legal. Certamente saberás que já não estás autorizado a usar simplesmente o Google Imagens para copiar imagens, porque elas estão protegidas por direitos de autor. Então agora tens as seguintes opções:

  • Utilizares plataformas pagas
  • Utilizares imagens livres de royalties
  • Criares ou fotografares tu mesmo imagens

Nem todos os sites têm um orçamento que permite comprar imagens de stock caras, como por exemplo da Fotolia ou Shutterstock. Com imagens livres de royalties (como na Unsplash ou Pexels) existe o perigo de estas nem sempre terem sido carregadas pelo/a autor/a. Há até relatos de esquemas sofisticados que se podem tornar caros.

Plataformas como a Pixabay indicam as possíveis utilizações. Mas já houve disputas legais que terminaram em desvantagem para os/as proprietários/as de sites. Portanto, a minha dica: faz uma captura de ecrã da informação da licença ao fazeres o download. Pelas razões acima mencionadas, decidi usar imagens criadas por mim, onde trabalho muito com conteúdo de texto. Posso publicá-las com a consciência tranquila e sem consequências legais. Se tens um site que depende muito mais de imagens, podes querer seguir um caminho diferente.

Usar SEO imagens de forma eficiente

Como podes otimizar as imagens para SEO? Antes de mais nada, gostaria de te falar sobre alguns procedimentos comuns para que as tuas imagens ou o teu site possam alcançar maior visibilidade. Na próxima secção, mostrar-te-ei como estes processos podem ser implementados para a tua SEO para imagens com WordPress, porque a instalação de plugins WordPress nem sempre é a solução para o problema.

Imagens não otimizadas pioram a tua classificação

A maioria das pessoas que tem um site pensa que a otimização de imagens para motores de busca tem tudo a ver com a obtenção de melhores resultados na pesquisa ou em pré-visualizações de redes sociais. Mas não é o caso. As imagens também precisam de ser melhoradas em relação aos Google Core Web Vitals mencionados no início. Trata-se da usabilidade do teu site, vê este artigo acerca do novo fator de classificação. Além disso, o teu grupo-alvo navega cada vez mais na internet com o smartphone.

Assim, quando os sites têm imagens grandes e não otimizadas, o site carrega lentamente e o/a utilizador/a tem de ser paciente. Mas quem quer esperar por imagens não otimizadas? O resultado será uma classificação do Google pior a partir de maio de 2021.

O tamanho das imagens

É por isso que deves tentar manter o tamanho da imagem o menor possível, sem perder a qualidade da imagem. Se criares tu mesmo as imagens, podes controlá-las usando o programa de edição de imagens. Os formatos adaptados para o site (ou seja, largura e altura em pixels, para imagens de artigos, dependendo do tema do WordPress) também provaram ser muito eficientes. Assim, o WordPress não tem de dimensionar as imagens desnecessariamente.

Se tiraste uma foto com uma câmEra profissional, ela pode ter milhares de pixels. Na maior parte das vezes o conteúdo de um site é limitado em largura. Por isso, faria sentido carregar a imagem apenas nesta largura especialmente porque, assim, ela pode rapidamente atingir vários MB de tamanho, o que já não é necessário no web design moderno - e mata os teus tempos de carregamento.

Formato e compactação

O formato das tuas imagens está muitas vezes relacionado com a compressão e alguns outros fatores. Por exemplo, enquanto as imagens com elementos transparentes são mais susceptíveis de serem guardadas como PNG, o formato JPG é mais adequado para gráficos coloridos.

O JPG permite uma maior compressão e pode, portanto, reduzir significativamente o tamanho do ficheiro, mas para isso, a qualidade da imagem sofre um pouco. Entretanto, existem outros formatos com AVIF e WebP para WordPress pensados para o futuro. Eles dão-te resultados ainda melhores.

Preencher os metadados corretamente

A maioria dos motores de busca ainda se baseia nos chamados metadados. Estes são basicamente informações que o site armazena no código fonte para que os serviços de busca possam atribuir os dados.

Google, sendo o maior fornecedor, é tecnicamente muito avançado e não requer os metadados tão detalhados como os pequenos motores de busca. Mesmo assim, eu armazená-los-ia sempre. Não prejudica o teu site e traz através de frases e palavras adicionais armazenadas a oportunidade de seres encontrado com estas.

A propósito, os metadados não têm nada a ver com o nome dos ficheiros de imagem. Deves nomeá-los já antes do upload - com uma descrição do conteúdo. Voltemos ao exemplo do blogue sobre comida. Um prato de massa com molho de carne picada deve ser chamado de algo como "prato de massa com molho de carne picada para cozinhar.jpg". Com imagens, os meta dados são simplesmente inseridos no código fonte como HTML - o WordPress faz isto por ti se forneceres às imagens as informações apropriadas ao carregá-las. Falarei disto mais tarde.

Por exemplo, o código fonte de uma imagem devidamente preenchida poderia ter esta aparência:

<img src=“domain.de/Nudel-Teller-mit-Hackfleischsauce-zum-Kochen.jpg“ alt=“Nudel Teller mit Hackfleischsauce“ title=“Nudel Teller mit Hackfleischsauce“ />

A tag alt representa uma designação (de texto) alternativa que pode ser exibida caso a imagem não seja exibida. Por exemplo, por causa de um navegador desatualizado ou um link que não funcipna, etc. Mas também é importante para as pessoas que usam um sreenreader (ou leitor de ecrã). Esta é outra razão pela qual deves aqui prestar atenção ao conteúdo falado (sites acessíveis). A tag de título da imagem (não confundir com a tag de título do site!) é usada para exibir mais informações sobre a imagem quando passas o rato por cim dela.

Otimização de imagens fora do WordPress

Se criares ou editares tu mesmo as tuas imagens com um programa de edição de imagens como o Gimp ou o Photoshop, então deves abdicar de uma solução no WordPress. É mais fácil e mais eficiente em termos de recursos fazer a otimização diretamente no programa. Aqui está um exemplo do Photoshop:

Compressão de imagem do Photoshop
Compactação de imagens no Photoshop

O ficheiro original da imagem para este texto foi convertido de 4 MB originalmente para um ficheiro JPEG de 340 KB com um tamanho de imagem de 2560×1440. E isso com restrições quase imperceptíveis. Com PNG é - dependendo da imagem - parcialmente semelhante.

Se agora reduzires a resolução das imagens, ou seja, ajustá-las para o tema WordPress, podes criar ficheiros ainda mais pequenos. No meu próprio blogue, por exemplo, as imagens do título têm um tamanho de 720×360 pixels. Isto depende do tema e pode ser diferente para ti.

Plugins de WordPress para compressão de imagens

Queres comprimir as tuas imagens diretamente no WordPress em vez da variante externa ou adicional? Então lê a nossa comparação dos 5 plugins populares para compressão de imagens. O artigo mostra-te também o fluxo de trabalho certo para este importante trabalho.

Descobrir o tamanho das imagens no WordPress

Uma pequena nota sobre os tamanhos das imagens no WordPress. Podes encontrá-los facilmente, mas eles não têm nada a ver com as especificações dos media nas configurações gerais do WordPress:

Configurações de mídia em WordPress
As configurações para os media no painel de controle WordPress

Aqui podes definir os tamanhos padrão utilizados pelo WordPress. Ao fazeres o upload de uma imagem, o WordPress cria imagens adicionais nestes tamanhos. No entanto, isto não altera os tamanhos tal como são exibidos no teu tema WordPress.

Alguns temas dão-te a opção de o fazer nas definições, outros não. Por isso podes simplesmente ir ao teu site no navegador e dar uma olhada de perto numa imagem - como a imagem do artigo - clicando com o botão direito do rato sobre ela. Em seguida, encontrarás o subitem "Mostrar informações gráficas".

Se disser nas "Dimensões" que a imagem foi dimensionada para um tamanho diferente, deves ajustar as imagens correspondentes novamente. Porque no tema do WordPress é definido um tamanho diferente daquele que especificaste.

Definir metainformações no WordPress

As imagens desempenham um papel importante na otimização dos motores de busca, não só porque melhoram os textos mas também porque te tornam visível. E porque tu podes mostrar ao Google e companhia sobre aquilo que escreves no teu site.

Por isso, pensa nas imagens como um complemento necessário ao conteúdo. Para que os motores de busca acima mencionados reconheçam o potencial, precisas da metainformação referida. Como já descrito, deves fornecer às imagens um nome de ficheiro otimizado para SEO antes de fazer o upload. Dá um nome muito preciso às imagens. O título deve refletir o que pode ser visto na imagem.

O WordPress oferece-te a inserção dos metadados das imagens diretamente durante o upload. No entanto, eu recomendo-te que não adiciones as imagens diretamente ao escrever, mas que vás através da galeria dos media. Para isso, clica no backend do WordPress no lado esquerdo em ficheiro de media -> adicionar ficheiro. Aí podes selecionar uma imagem do teu PC e carregá-la através do botão no topo com mesmo nome.

Após o upload bem sucedido, aparece um botão "Editar", no qual clicas. O WordPress abre então o ficheiro de media e mostra as tuas informações mais importantes. Aqui podes agora preencher os lugares marcados a vermelho na imagem:

Metadata for images in WordPress
Inserir metadados para imagens no WordPress

Se adicionares a imagem mais tarde no editor Gutenberg, ela receberá automaticamente a metainformação apropriada. No entanto, evita usar imagens mais de uma vez. Em vez disso, carrega-as novamente com um novo nome de ficheiro e novos metadados, porque estes detalhes são normalmente otimizados para um artigo específico.

Lazy Loading para imagens no WordPress

Para obteres um site que seja o mais rápido possível e que possa suportar os novos Core Web Vitals do Google, deve ser carregado apenas o conteúdo que é atualmente necessário. As imagens que são exibidas na parte inferior de um artigo longo não precisam de ser exibidas ou carregadas no início.

É aqui que entra em jogo o Lazy Loading. Isto significa o carregamento atrasado de imagens que não estão localizadas na área "acima da dobra" - a área que o/a leitor/a vê diretamente. Embora esta funcionalidade só fosse possível anteriormente com certos plugins do WordPress, por exemplo com Autoptimize ou WP Optimize (apenas a partir do Premium), aqueles/as que instalaram pelo menos o WordPress 5.5. podem regozijar-se.

Porque lá o Lazy Loading já é agora reconhecido no núcleo do código. Desde o WordPress 5.7 até mesmo o Lazy Load para iFrames. Se tens uma versão mais antiga instalada, deves definitivamente fazer um update.

Carregamento preguiçoso de iframes em WordPress
A explicação de Lazy Loading para iFrames em WordPress.org

Armazenamento em cache com WordPress

Pode conseguir um aumento significativo do desempenho no WordPress usando uma cache. Pode ser feita uma distinção entre a cache do navegador, que armazena apenas certos ficheiros no dispositivo final, e a cache do lado do servidor. Neste último caso, os conteúdos do WordPress gerados dinamicamente também são disponibilizados em ficheiros estáticos no servidor.

Isto significa que o site não tem de aceder às bases de dados cada vez que é chamado. Porque estes acessos aumentam, por um lado, a velocidade de carregamento e, por outro lado, também a carga que o teu servidor tem de suportar. Especialmente para grandes sites com muitos/as visitantes, esta pode ser uma forma eficaz de poupar recursos.

A desvantagem: Não podes criar determinados conteúdos de página dinamicamente. Por exemplo, se tiver diferentes banners a uso, tens de os excluir da cache, ou aceitar que estes não mudem num artigo. Também para lojas online com WooCommerce tens de considerar certas exceções para que o processo de encomenda funcione corretamente.

Para além de plugins muito abrangentes como WP Rocket, que é pago e oferece muitas configurações, podes também implementar o armazenamento em cache com plugins gratuitos como WP Optimize ou W3 Total Cache. A RAIDBOXES oferece para o efeito a sua própria cache do lado do servidor. A cache NGINX torna-se ativa antes de o WordPress assumir o controlo. Desta forma, os sites podem ser entregues sem que o WordPress se torne mais lento. Outra vantagem: Já não precisas mais de um plugin de cache do WordPress e não precisas mais de te preocupar com configurações complexas.

Otimizar o desempenho do WordPress

Queres saber quais são os parâmetros mais importantes do desempenho do teu WordPress? Então lê o nosso guia acerca disto. Da mesma forma, o nosso e-book de desempenho sobre como medir corretamente a velocidade da Webpage.

Conclusão sobre SEO imagens com WordPress

OtimizarWordPress em termos de imagens pode realmente valer a pena. Não só vai aumentar a tua classificação, como também pode atrair tráfego adicional. Por outro lado, é preciso algum trabalho. Especialmente no início, quando o assunto ainda é novo para ti. Com o tempo, no entanto, tudo vai ficando mais rápido e tu alcanças melhores resultados.

Especialmente porque o Google presta cada vez mais atenção aos tempos de carregamento, faz sentido prestar atenção não apenas às metainformações. Fornece as imagens no formato de ficheiro correto, comprimidas e com tamanhos exatos. Os teus e tuas visitantes vão agradecer-te por isto, porque a página fornece rapidamente a informação desejada. Se o conteúdo estiver correto, nada impedirá o teu sucesso.

Poderás encontrar mais artigos sobre SEO na revista wp unboxed, que te ajudarão com o Google e companhia:

As tuas perguntas sobre SEO imagens com WordPress

Que perguntas tens sobre o assunto? E que dica podes recomendar? Escreve-nos nos comentários. Queres mais artigos sobre WordPress e SEO? Então segue-nos-nos no Twitter, Facebook, LinkedIn ou através da nossa newsletter.

Ronny Schneider é um profissional de SEO e WordPress. No seu blogue ele escreve regularmente sobre como blogues e revistas online podem ser bem sucedidos. Além disso, ele oferece ajuda na criação de blogues com WordPress, assim como no trabalho de otimização.

Artigos relacionados

Comentários sobre este artigo

Escreve um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.