YouTube SEO: Mais visualizações e subscrições para os teus vídeos

Jan Tissler
9 min.
YouTube SEO

Um canal do YouTube pode valer a pena em muitos aspetos. Aqui podes fazer um perfil como profissional, construir uma comunidade e ganhar novos/as clientes. Mas como é que os teus vídeos obtêm o maior número de cliques e visualizações possível? Qual e a probabilidade das pessoas subscreverem o teu canal? E de que se trata o SEO do YouTube? Explicar-te-ei isso neste artigo.

Planear e implementar vídeos e construir um canal YouTube de sucesso pode ser muito trabalhoso. Quanto trabalho? Isso depende do tipo de vídeos que pretendes fazer. E como é fácil para ti planear, filmar e editar. Em qualquer caso, deve ser clara a razão pela qual desejas realmente fazer esse esforço.

Criar vídeos para o YouTube

Queres criar os teus primeiros vídeos para ti, para a tua agência ou para a tua empresa? E com o menor orçamento possível? Então leia o guia de Jan sobre a Tecnologia certa para o YouTube e similares.

Os teus objetivos no YouTube

Ao mesmo tempo, um objetivo claramente formulado ajuda-te a dar ao teu canal uma direção significativa e a otimizar os teus vídeos para o resultado final esperado. Alguns exemplos de coisas que se poderias conseguir com um canal de YouTube:

  • Posiciona-te como profissional de uma área. A plataforma é perfeita para isto.
  • Para ajudar no teu marketing de conteúdo, consulta o meu Guia sobre marketing de conteúdo. Os vídeos atraem mais atenção porque também aparecem nos resultados de pesquisa do Google e acrescentam valor aos teus artigos.
  • Constrói uma comunidade da qual possam emergir novos/as clientes.
  • Transmite os teus conhecimentos e desfruta da boa sensação de fazer algo significativo.

Para estes e outros objetivos, um canal de YouTube pode ser uma boa ideia. Se é a melhor medida para cada caso é outra discussão. Isso levar-nos-ia demasiado longe aqui.

Escrevi um artigo aqui na revista sobre como escolheres as redes sociais certas para ti. Muitas das dicas nele contidas também se aplicam à rua decisão a favor ou contra o marketing em vídeo ou a favor ou contra o YouTube.

Como obteres mais atenção para os teus vídeos

Há três maneiras de os teus vídeos poderem atrair novos e novas espectadoras no YouTube:

  1. Eles aparecem num resultado de pesquisa. Afinal de contas, o YouTube é considerado o segundo maior motor de busca depois do Google. Algumas pessoas preferem ver um vídeo em vez de ler um artigo. E para certos tópicos, é de facto melhor ver algo com os seus próprios olhos e ter isso demonstrado.
  2. São recomendadosnoutro vídeo. No computador, eles aparecem na barra lateral direita. São também exibidos depois de um vídeo ter sido reproduzido.
  3. Aparecem como uma sugestão na página inicial. Para além dos conteúdos subscritos e geralmente interessantes, o YouTube tenta encontrar aqui vídeos que correspondam aos próprios interesses.

Para que o teu vídeo apareça nestes locais, tem de ter sido bem recebido pelos/as espetadores/as anteriores. E em segundo lugar, deve estar claramente posicionado em termos de conteúdo. Vejamos como funcionam estes dois pontos.

O que torna os vídeos do YouTube um sucesso

Quando se trata de otimização de motores de busca ou SEO, tudo normalmente gira em torno de palavras-chave: como encontrar as melhores, onde e como utilizá-las e muito mais. Chegarei a este assunto dentro de momentos.

No entanto, o YouTube tem uma característica especial em comparação com um motor de busca da web como o Google: a plataforma de vídeo sabe exatamente como cada vídeo individual é recebido pela comunidade de utilizadores, enquanto que o Google tem muito menos informação sobre como um resultado de pesquisa é classificado. O YouTube utiliza esta informação de forma intensiva.

O que importa para o YouTube

Então o que faz um vídeo de sucesso do ponto de vista do YouTube? É preciso ter em mente que o YouTube ganha dinheiro principalmente com publicidade. Cada vez mais, a plataforma está também a tentar conquistar os e as utilizadoras para a adesão premium sem anúncios.

Para que estes dois fluxos de receitas funcionem de forma ótima, o YouTube depende de duas coisas:

  1. Os utilizadores e utilizadoras devem voltar o mais frequentemente possível. Portanto, têm de gostar do que descobrem e ser recomendados.
  2. Em cada visita, deves utilizar o YouTube durante o máximo de tempo possível.

É por isso que a plataforma analisa, por exemplo, durante quanto tempo o teu vídeo prende a atenção dos/as espetadores/as. Uma vez que o "watch time" (tempo de observação) se tornou um critério tão importante, tem havido uma tendência para vídeos cada vez mais longos. O desafio aqui, claro, é tornar um longo vídeo interessante.

RAIDBOXES YouTube
Vídeos em que se veem pessoas normalmente funcionam melhor

A propósito, não deixes que ninguém te diga que os vídeos no YouTube não podem ser mais longos do que 2:30 minutos ou coisa do género. Tal número é por vezes citado porque esse é supostamente o tempo médio de reprodução dos vídeos no YouTube. Este número não faz sentido simplesmente porque mistura indiscriminadamente todos os tipos de vídeos, todos os grupos etários, todos os tópicos, todas as intenções dos/as utilizadores/as e muito mais.

Generalizar dessa forma, é um disparate. Há vídeos que têm 30 minutos de duração e um enorme sucesso, porque fornecem exatamente aquilo que o grupo-alvo está à procura.

Watch Time: Quanto tempo é que observam?

Os teus vídeos têm de ser interessantes, sensatamente estruturados, suficientemente bem executados e adequados ao grupo-alvo. Com o tempo, aprenderás quando e porquê os/as espetadores/as deixam os seus vídeos, porque o YouTube fornece-lhe estatísticas detalhadas. Por exemplo, os primeiros 15 segundos são considerados particularmente importantes: por isso não os desperdices com uma introdução sem sentido. Vai direto ao assunto e desperta o interesse das pessoas.

Session Time: Quanto tempo permanecem no YouTube?

O YouTube não se limita a olhar para o tempo que os e as espetadoras vêem os teus vídeos. A plataforma também tem em conta se o teu vídeo os/as faz sair do YouTube ou se veem outros vídeos. Este é o chamado "session time". Só por esta razão, é uma boa ideia consultares outros vídeos adequados ao teu canal e classificares os teus vídeos em listas de reprodução significativas.

Envolvimento: Quantas reações é que o teu vídeo gera?

E por último, mas não menos importante, o fator de envolvimento, já bem conhecido na rede social, também desempenha um papel: Quantos utilizadores/as colocam um "gosto" ou escrevem um comentário? Quantas assinaturas de novos canais é que o vídeo gera?

Por conseguinte, é uma boa ideia estimular a discussão ou estar disponível para perguntas. Muitas vezes os próprios realizadores ou realizadoras de um vídeo escrevem um comentário com a pergunta principal e "fixam-no" para que seja sempre visível mesmo no topo.

Pesquisa sobre temas e palavras-chave

Agora que sabes quais devem ser as bases dos teus vídeos, está na hora de encontrares os temas reais. Um passo importante aqui é a pesquisa por palavras-chave. Deves sempre avaliar as ideias que daí surgem:

  1. Quão bem se adaptam ao teu grupo-alvo
  2. Como eles podem ajudar o teu negócio e
  3. Se são de alguma forma procurados

Escrevi um artigo separado sobre Como testares e refinares ideias de conteúdo com previamente. Encontrarás aí muito mais conselhos.

Ferramentas e dicas

Um passo simples para a pesquisa aqui é introduzires os teus termos na pesquisa do YouTube e prestar atenção a outras palavras-chave que te são sugeridas. Tal como o Google, o YouTube tem uma funcionalidade "autosuggest" que visa poupar a quem pesquisa o máximo de digitação possível: começa-se a digitar um termo de pesquisa, e o YouTube sugere vários complementos possíveis. Ele consegue assumir que os termos e combinações de termos aqui listados estão de facto a ser procurados.

Infelizmente, o que não se vê é com que frequência é procurado. Podes encontrar tal informação em ferramentas como Rank Tracker e outras. Muitas vezes tornam o teu trabalho de investigação muito mais fácil, porque geram listas completas de sugestões baseadas em autosuggest.

Com ferramentas como TubeBuddy e VidIQ podes saber mais sobre os teus concorrentes e aprender com a sua abordagem. Também te dão informações sobre quão grande já é a competição por uma palavra-chave.. No artigo seguinte encontrarás muitas mais ferramentas para SEO do YouTube.

TubeBuddy YouTube Keyword Research
Pesquisar palavras-chave do YouTube com TubeBuddy

Utilizar palavras-chave nos locais certos

Tal como na otimização dos motores de busca para Google e similares, o passo seguinte é inserir as palavras-chave em locais importantes. Isto inclui, essencialmente:

  1. O título do vídeo. Para garantir que também é exibido na íntegra no Google, o ideal é que não tenha mais de 60 carateres.
  2. O próprio conteúdo. Pensa em corrigir as legendas geradas automaticamente ou substituí-las pelas tuas próprias legendas.
  3. O texto descritivo. O YouTube recomenda pelo menos um a dois parágrafos - por isso, não apenas uma frase curta!
  4. As palavras-chave (tags). Tanto o tema com todas as tuas palavras-chave no singular e plural como o tipo de vídeo ("relatório de teste") podem aparecer aqui.
  5. Hashtags no texto de descrição.

Outras regras gerais de SEO também se aplicam aqui. Por exemplo, não se deve exagerar com as palavras-chave. Uma pessoa deve poder ler normalmente.

Além disso, não se tratará apenas de uma única palavra-chave, mas também de palavras-chave relacionadas e frases inteiras. Se produzes um bom vídeo sobre um tema, isso deve quase acontecer por si só. No entanto, é sempre uma boa ideia prestares atenção e pesquisares antecipadamente os termos que o teu grupo-alvo está a usar e a procurar. Lê mais sobre este tópico no artigo sobre pesquisa por palavras-chave acima mencionado.

Otimizações adicionais

Quando o teu vídeo finalmente aparece nos resultados de busca ou é recomendado pelo algoritmo do YouTube, só tens uma fração de segundo para fazer os/as utilizadores/as clicarem. Para isso, deves prestar atenção às seguintes coisas na tua SEO do YouTube:

Imagem de pré-visualização

Em qualquer caso, deves ter uma imagem de pré-visualização concebida para cada vídeo que atraia a atenção, que desperte a curiosidade e torne o tema claro. Muitos/as YouTubers descobriram o que profissionais de marketing e anunciantes sabem há muito tempo: nada atrai mais a atenção do que um rosto. É por isso que verás frequentemente uma pessoa na imagem de visualizção.

O humor é utilizado, mas também as ferramentas do clickbait: insinuações, controvérsias, surpresas ... Deves decidir por ti próprio/a até onde queres ir aqui, tendo em mente, acima de tudo: "O que me convém a mim e ao meu grupo-alvo?"

E por último, mas não menos importante, não a sobrecarregues, porque ela precisa de ser facilmente reconhecível mesmo num formato muito pequeno.

Título/cabeçalho

O título do vídeo deve ajudar não só o YouTube, mas também os/as utilizadores. Aplicam-se dicas semelhantes às da pré-visualização: deves descrever claramente o tema e o benefício do teu vídeo. Ao mesmo tempo, deves despertar a curiosidade.

Início da descrição

Em alguns lugares, o YouTube apresenta as primeiras linhas da descrição do vídeo, por exemplo, nos resultados da pesquisa. Isto também pode ser visto no Google. São normalmente os primeiros 100 a 120 carateres. Assegura-te de que o teu texto começa com algo interessante.

Dicas complementares

Marcadores de capítulo

Há muito que o YouTube tinha tornado possível saltar para um ponto específico do vídeo. Se um carimbo temporal como "2:13" for mencionado num comentário, é automaticamente ligado: após o clique, aterra-se no vídeo atual exatamente neste ponto.

Desde então, o YouTube tem evoluído a abordagem aos marcadores de capítulos: Podes dividir o teu vídeo em secções nomeadas para as quais os teus e tuas espetadoras podem saltar diretamente. Isto é útil se alguém estiver particularmente interessado numa determinada questão ou se uma secção não for tão relevante naquele momento.

Podes simplesmente adicionar estes marcadores de capítulo como uma lista na tua descrição. É importante que comeces com 00:00 e tenhas pelo menos três carimbos de tempo.

Divulga os teus próprios vídeos!

Não esperes que o YouTube te traga novos/as espetadores/as. Divulga os teus vídeos através dos teus próprios canais: perfis de redes sociais, newsletters e o teu site, blogue ou revista.

Isto também faz parte da SEO do YouTube: se a tua preocupação inicial for chamar à atenção, então o algoritmo do YouTube irá notar isto positivamente. Os vídeos que trazem os/as utilizadores/as à página recebem um bónus no ranking. Também são recomendados com mais frequência na página inicial. Incorporar vídeos em outras páginas também é útil.

Sucesso a longo prazo através da otimização do canal

Conseguir novos/as espetadores/as com cada vídeo é cansativo. Portanto, o teu objetivo deve ser também o de aumentar o número de assinantes. Para o fazeres, é necessário prestares atenção a duas coisas:

  1. Oteu canal precisa de um tema claro: deve ser claro para quem é e o que este grupo de pessoas ganhará ao subscrever os teus vídeos. Mostra-o através da tua imagem de capa, através de playlists de vídeos existentes e através de um vídeo de boas-vindas ("trailer do canal") que podes fixar no topo da página.
  2. Publicar novos vídeos tão regularmente quanto possível: isto não tem de ser diário, nem mesmo semanal. Mas é bom que a tua abordagem transmita a sensação de que vale a pena continuar a seguir-te.

Muitos/as YouTubers assinalam nos seus vídeos, de uma forma ou de outra, que os/as espetadores/as devem subscrever o canal. É claro que também o podes fazer. Como sempre, existem também contraexemplos que nunca mencionam isto e continuam a ter sucesso - simplesmente porque os vídeos são tão bons, interessantes e especiais que não queremos perdê-los.

Além disso, o teu objetivo final não deve ser "gerir" um canal, mas construir uma comunidade. É importante que os teus vídeos de YouTube reúnam pessoas que tenham uma visão semelhante das coisas. Essas pessoas devem compreender o que representas e porque diriges este canal do YouTube. O que te move?

Conclusão sobre o tema SEO do YouTube

Com o tempo, os teus vídeos também desenvolverão efeitos de reconhecimento. Isto pode ser uma certa saudação, um certo estilo, o teu rosto. Quando se chega a esse ponto, já se percorreu um longo caminho.

Com este artigo, espero ter-te dado uma visão aproximada dos pontos-chave a que deves prestar atenção ao fazeres vídeos para o YouTube. No final, gostaria de te desvendar um "segredo de sucesso": sê tu mesmo/a utilizador/a ativo/a do YouTube. Vê o que já lá está sobre os teus temas. Procura modelos a seguir noutras áreas temáticas. Pensa no que gostas em ti. E depois desenvolve gradualmente o teu próprio estilo.

As tuas perguntas sobre SEO do YouTube

Que perguntas tens para o Jan? Como fazer com que os teus vídeos tenham sucesso? Aguardamos os teus comentários. Interessas-te por temas de marketing online? Então segue a RAIDBOXES no Twitter, Facebook, LinkedIn ou através da nossa newsletter.

O Jan é jornalista online e especialista em publicações digitais, com mais de 20 anos de experiência profissional. As empresas contratam-no como autor, consultor ou editor-chefe. É também o fundador e um dos editores da revista UPLOAD. Imagem do fotógrafo: Patrick Lux.

Artigos relacionados

Comentários sobre este artigo

Escreve um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.