Noções básicas de WordPress - parte 1: É por isto que WordPress é o CMS certo para ti

7 min.

WordPress é o CMS mais utilizado, que podes configurar com muitos hosts diretamente no menu do cliente por instalação com um clique. Nesta série de várias partes, vou-me ocupar detalhadamente de todas as áreas do WordPress. Vou mostrar-te como usar o painel de controle, mas também entrar nos limites do sistema e explicar-te as vantagens da RAIDBOXES em relação a outros hosts. A Parte 1 de hoje é sobre os conhecimentos básicos do WordPress.

Websites, CMS e WordPress. Como é que isto está ligado?

Para trabalhadores independentes e freelancers, um site próprio é, para além dos canais de redes sociais comuns, uma plataforma de comunicação muito importante. Apesar das inúmeras possibilidades e opções de "cartão de visita" de fornecedores como Tumblr, Blogger, Facebook etc., o teu próprio site, principalmente com o teu próprio domínio, é um canal muito importante, se não até o mais importante. Mas também os autores de blogues também costumam usar o WordPress como plataforma para os seus sites. A ideia parece improvável neste momento, mas ninguém sabe se o Facebook ainda existirá daqui a cinco anos. Grandes plataformas descontinuam os seus serviços constantemente. Um site próprio torna-te independente. Mesmo que o teu host descontinue os seus serviços, podes facilmente exportar os teus conteúdos.

Tem mesmo de ser um site próprio?

Por mais úteis que sejam as redes sociais para comunicação e marketing, não deves confiar apenas nelas. O Jan Tissler explica como pode ser um Hub de conteúdo para agências, freelancers e empresas, e porque é tão importante um ponto de contacto central.

CMS - O que é isso afinal?

CMS significa Content Management System (Sistema de Gestão de Conteúdo). Com um CMS podes gerir o teu conteúdo na rede. E é exatamente isso que o WordPress faz por ti. Além disso, é possível escolher um tema (design) e expandir o sistema com determinadas funcionalidades, as chamadas plugins. Mais sobre isto no decorrer desta série. Em resumo: Com um sistema de gestão de conteúdo podes tu mesmo facilmente gerir e atualizar o teu conteúdo e publicá-lo de forma rápida e simples.

A ideia do Código Aberto

O WordPress e alguns outros sistemas de gestão de conteúdos são de código aberto. Isto significa que qualquer pessoa pode ver e modificar o código fonte e ajudar a moldar o projeto. Muitos programadores trabalham continuamente para melhorar o código, simplesmente porque gostam e querem dar suporte a software livre, ou porque querem ganhar dinheiro com serviços e plugins adicionais. Porque o sistema básico puro é gratuito, ao usares o WordPress, tu não pagas pelo software em si, mas por serviços adicionais como alojamento, suporte ou assistência profissional, como aqui na RAIDBOXES. Como o WordPress é de código aberto e baseado em PHP, HTML e CSS, plugins e temas só podem ser oferecidos por outros programadores. Isto significa que praticamente não há limites para as opções de customização e individualização.

Sabes como o WordPress começou?

Com o WordPress, podes atualmente implementar quase todos os projetos digitais. Isto nem sempre foi assim. Todo o começo é conhecido por ser difícil, mas tanto os altos como os baixos fizeram do WordPress o líder indiscutível do mercado entre os sistemas de gestão de conteúdo. Podes descobrir mais detalhes sobre a história de sucesso do WordPress neste artigo.

Porquê WordPress ?

Como mencionado acima, o WordPress é o sistema mais utilizado na rede. Portanto, o número de utlizadores e, portanto, da informação publicada em torno do CMS, é muito elevado e podes encontrar ajuda rapidamente em caso de problemas. Experimenta: Faz uma pergunta sobre o WordPress ao Google, exatamente da maneira como me perguntarias. É muito provável que obtenhas uma ou mais respostas imediatamente.

Em princípio, o sistema básico já oferece as funcionalidades mais importantes. Com vários plugins WordPress (extensões) podes também facilmente estender a funcionalidade do teu site para ativar recursos adicionais. Mais tarde, nesta série, entrarei na questão dos plugins em detalhe. Tal como com plugins, podes individualizar a tua instalação WordPress com temas. 

Com temas determinas o design, ou seja, a aparência do teu site. Dependendo do teu orçamento e do teu desejo de individualidade, podes obter tudo, desde temas WordPress gratuitos (pouco individualizados), até temas WordPress totalmente programados de forma personalizada.

E a segurança?

Como o WordPress é muito difundido, é claro que também é interessante para os invasores e oferece uma superfície de ataque grande. Raramente tu ou o teu site serão atacados pessoalmente. No entanto, existem vários "bots" na rede que apenas procuram instalações WordPress e testam automaticamente as lacunas de segurança comuns. Por isso, deves ter o cuidado de manter o teu WordPress atualizado e seguro. Muitos hosts, como a RAIDBOXES, oferecem recursos e serviços de segurança apropriados. Por isso, não precisas de te preocupar em atualizar plugins, temas e o software principal doWordPress, e podes-te concentrar totalmente no teu próprio conteúdo.

Tudo online

Tudo o que fazes com WordPress, fazes no browser e diretamente online. Independentemento do sistema operacional do teu computador, só precisas de um browser. Também podes fazer tudo a partir do teu telemóvel ou tablet, por exemplo. Isto significa que precisas de um servidor web para operar o WordPress. Mas isso é claro, porque o teu site deve estar acessível na web.

contribuições de áudio da revista wordpress

Os pontos mais importantes em síntese:

  • Ajuda rápida através de ampla distribuição
  • Pode ser expandido com plugins conforme necessário - desde grátis para autoprogramado
  • Personalizável através de temas - desde grátis para autoprogramado
  • Relativamente fáceis de usar em comparação com outros CMS
  • O sistema básico é de código aberto e gratuito
  • Atenção: Presta atenção à atualidade e segurança se o teu host não o fizer.

WordPress.org vs. WordPress.com - Qual é a configuração certa para ti?

Ao usares WordPress existem várias opções que deves conhecer para escolheres a mais adequada a ti. Para entenderes melhor: Apenas a variante 1 usa wordpress.com, nas outras variantes é sempre sempre usado o software de código aberto gratuito do wordpress.org.

Noções básicas de WordPress - parte 1: É por isto que WordPress é o CMS certo para ti
Todos podem descarregar gratuitamente o software WordPress mais recente no wordpress.org. O projeto é de código aberto e está a ser desenvolvido por voluntários - os chamados contribuidores.

Variante 1: wordpress.com

A oferta do wp.com é um serviço de alojamento da Automattic - a empresa do co-fundador do WordPress, Matt Mullenweg. Usar o WordPress.com é uma opção popular, especialmente entre bloguers amadores, porque não precisas de te preocupar com espaço na rede ou com um domínio. Isto porque no wp.com obténs um WordPress totalmente instalado num servidor. 

Existem diferentes modelos de pagamento, desde gratuitos (com publicidade no teu site) até diferentes modelos de preço, dependendo do que precisas e queres exatamente. Na versão gratuita, no entanto, o teu site funciona num subdomínio, pelo que o teu domínio terá o seguinte aspeto: teudomíniowordpress.com. Isto não é recomendado, especialmente por razões de SEO.

Como o sistema é completamente alojado e mantido por wordpress.com, a funcionalidade é muito limitada. Não podes lá instalar nenhum (ou um número limitado) plugin e, em relação aos temas, não és tão livre como com um auto-host WordPress . Além disso, se quiseres usar FTP ou SSH, wordpress.com não é opção para ti. Na minha opinião, é útil principalmente para bloguers amadores, ou se apenas queres dar uma olhada ao WordPress. No entanto, não é adequado para uso profissional.

WordPress.com vs. WordPress.org

É perfeitamente compreensível que o wp.com comercial e o software de código aberto do wp.org sejam confusos. Os colegas do Elmastudio dedicaram ao tema toda uma publicação que explica detalhadamente a diferença.

Variante 2: Alojar WordPress no próprio servidor

WordPress.org oferece-te a possibilidade de descarregar o software WordPress gratuitamente e de o instalar no teu próprio servidor. Desta forma, podes usar todas as possibilidades que o WordPress oferece e adaptá-lo às tuas necessidades. A desvantagem é a de que terás tu próprio de instalar o WordPress, bem como manter e tratar dos updates e da segurança do teu servidor, etc. Também precisas de um servidor com determinadas funcionalidades, e precisas de saber usá-lo. Isto só é útil para utilizadores tecnicamente experientes.

Variante 3: Alojar o WordPress com fornecedores genéricos

Através da ampla distribuição de WordPress e a crescente procura, a maioria dos (grandes) hosts, além de hospedarem outros sistemas de gestão de conteúdo, também oferecem alojamento WordPress. A vantagem do alojamento no próprio servidor é que não precisas de te preocupar em configurar a instalação e coisas do género. Se tiveres alguma dúvida, podes contactar o teu host.

Noções básicas de WordPress - parte 1: É por isto que WordPress é o CMS certo para ti

Variante 4: Alojar com especialistas em WordPress como a RAIDBOXES

Há fornecedores especializados em alojamento WordPress e "só" fazem isso. Mas são realmente muito bons nisso. Na RAIDBOXES tens este serviço. A jovem equipa, especializada em WordPress, está constantemente a crescer e tem os seus servidores na Europa, o que é importante para muitos hoje em dia. Eles oferecem grande suporte e ajuda em todas as questões.

Esta opção é certa para ti se quiseres alojar o WordPress a um nível elevado - incluindo segurança, backups, otimização de desempenho, funcionalidades para gerir e desenvolver os teus projetos - e, mais importante, suporte de primeira classe sem teres de te preocupar com nada. Isto é útil para lojas ou websites, por exemplo, onde a acessibilidade é muito importante, e onde se perde dinheiro se se estiver offline por alguns segundos.

Como é estruturado um site (WordPress)?

Devido à grande variedade de websites e dispositivos dos utilizadores, já não existe um verdadeiro "padrão" de aparência de um website. Mas a partir do princípio básico, muitos sites são estruturalmente muito semelhantes. No WordPress existem diferentes áreas e conceitos que eu gostaria de explicar aqui como introdução. Faz sentido referi-los sucintamente, para se compreender melhor a área administrativa, ou seja, o painel de controle.

Conheces as tendências atuais de web design?

Podes descobrir quais os elementos, designs e estética que atualmente dão o tom no mundo do design no nosso artigo sobre Tendências de web design 2020 .

Áreas do site

Um site está dividido em diferentes áreas. O conteúdo primário, barras laterais, cabeçalho e rodapé. Em todas as áreas, dependendo do tema (explicado mais à frente), podes entrar ou definir conteúdos diferentes através de texto, códigos ou dos chamados widgets. Vais entender como tudo isto funciona no decorrer da série de artigos WordPress.

Website ou homepage ou páginas?

Estes três termos são frequentemente usados aqui e na rede. Qual é a diferença entre eles?

  • (Web)site = o panorama geral, ou seja, www.teusite.com com todas as subpáginas.
  • Homepage = a página inicial do teu site, ou seja, a página que te aparece quando visitas www.teusite.com.
  • Páginas = as sub-páginas individuais, por exemplo, a notificação legal ou a página de "contacto". A área onde aparecem as publicações do teu blog também é uma página. No sistema WordPress é chamado de "página de publicação".

Páginas e publicações

No WordPress não só existem páginas, como também podes blogar com elas. Se queres blogar, não crias páginas, mas sim publicações. A área do teu site com as publicações não precisa necessariamente de ser chamada de "blog" - denominações clássicas aqui são, por exemplo, "notícias", "atual" ou simplesmente "revista".

Uma publicação de blog e uma página são muito parecidos à primeira vista. E na verdade, podes criar um site que consiste apenas de publicações em blogs ou apenas páginas. O visitante não vê nenhuma diferença no início. No final, no entanto, ambos têm algumas pequenas diferenças subtis que afetam o teu site.

As páginas são estáticas. Elas são criadas uma vez e depois permanecem como estão. Exemplo típico é uma página "Sobre...", uma notificação legal, um contacto, uma galeria.

As publicações são dinâmicas. Isto não significa necessariamente que elas tenham de ser alteradas, mas vivem da atualidade, são criados para um propósito específico ou sobre um tópico específico. Isto é comparável a uma revista. A visão geral dos membros da equipa editorial ou, por exemplo, a notificação legal permanecem inalterados, os artigos mudam em cada edição.

Aqui vamos nós!

Tenho a certeza que já te apeteceu experimentar tudo. Na RAIDBOXES podes testar o WordPress gratuitamente e desafiar o suporte, e tirar todas as tuas dúvidas aqui mesmo.

Na próxima parte desta série Noções básicas de WordPress, vamos começar logo direto. Vou apresentar-te o painel de controle e explicar as configurações básicas que deves conhecer se quiseres entender o teu sistema.

O Johannes é muito curioso e já atingiu vários patamares na sua carreira. De especialista em TI qualificado a fotógrafo freelancer, ele é bastante versátil e consegue, por isso, colocar as diferentes "lentes" dos seus clientes. Hoje ele trabalha como fotógrafo e consultor freelancer de WordPress e fotografia. [Foto: Dennis Weißmantel]

Artigos relacionados

Comentários sobre este artigo

Escreve um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com * .