Plataformas de redes sociais em comparação: LinkedIn, Xing, Facebook, YouTube e companhia

Jan Tissler Última atualização 23.03.2021
7 min.
social media comparison
Última atualização 23.03.2021

Enquanto freelancer ou numa agência, vais ponderar bem em que plataformas de redes sociais tu queres e podes estar ativo. Afinal de contas, os teus recursos são limitados. Neste artigo, vou dar-te alguns factos, números e ferramentas para te ajudar a decidir. Desde os clássicos até ao Snapchat, TikTok, Pinterest, Clubhouse e muito mais.

Num outro artigo, eu já descrevi o básico acerca de como encontrares as plataformas de redes sociais adequadas para ti. Fatores importantes para isto são, por exemplo:

  • Quem realmente pretendes alcançar
  • Qual é o teu objetivo
  • Que formatos de media são adequados para ti
  • O que se pode alcançar nas respetivas plataformas
  • O que se adequa a ti e às tuas ofertas

Por outras palavras: te precisas de saber o máximo possível sobre o(s) teu(s) grupo(s)-alvo. E por outro lado, precisas de ser capaz de avaliar o que as diferentes redes de sociais realmente oferecem, que caráter elas têm e que tipo de utilizadores lá vais encontrar. É exatamente sobre isto que trata este artigo.

Redes de negócios: LinkedIn e Xing

O LinkedIn e Xing (este último conhecido principalmente na Alemanha, Áustria e Suíça) são os únicos exemplos neste artigo que se consideram como redes sociais especificamente para uso profissional e B2B. Eu listo-os aqui primeiro, porque do meu ponto de vista eles têm o maior potencial para a maioria dos/as freelancers e agências.

Em geral, a sua vantagem é o contexto: os/as utilizadores/as já esperam aqui conteúdo que gire de alguma forma em torno da vida profissional. Os assuntos privados tendem a ocorrer à margem - se é que ocorrem. Falar de si próprio e da sua própria experiência é, portanto, normal. Fazer contatos também é normal.

linkedin conta comercial
A conta da empresa de RAIDBOXES no LinkedIn

Isto não te deve levar a publicar coisas sobre ti sem objetivo e a te dirigir a cada pessoa com um texto padrão sem sentido. Não faças isto! Definitivamente deves pensar no que queres publicar aqui e que é relevante para o seu grupo-alvo. Além disso, deves construir conscientemente a tua rede, prestar atenção à sustentabilidade e respeitar o tempo dos outros. Apesar deste pequeno aviso, aplica-se o seguinte: no LinkedIn e Xing, basicamente não te destacas negativamente se falares de ti mesmo, do teu trabalho e das tuas capacidades.

O LinkedIn estabeleceu-se como uma rede internacional de negócios. Na Europa, ele tem agora mais de 200 milhões de utilizadores/as - mais do que no seu país de origem, os EUA. Na Alemanha, Áustria e Suíça (DACH), são cerca de 14 milhões de utilizadores/as. O Xing ainda está à frente nestes três países com cerca de 19 milhões de utilizadores/as. No entanto, é claro que tais números, por si só, não dizem muito, porque as taxas de interação parecem ser mais altas no LinkedIn na maioria dos casos. Em última análise, em muitos casos, a tua atividade resume-se a estar presente e ativo/a em ambas as plataformas se o teu mercado alvo for a região DACH. Caso contrário, podes-te concentrar totalmente no LinkedIn .

Uma ferramenta interessante no LinkedIn é o Social Selling Index. Ele oferece suporte para todos aqueles que queiram usar a rede (também) para conquistar novos/as clientes. Em quatro categorias, podes descobrir como o teu perfil e as tuas atividades se comparam com o teu setor e os teus contactos. Não deves levar isto cem por cento a sério, mas pode dar-te boas ideias. Se quiseres ir ainda mais fundo, podes usar ferramentas pagas como o LinkedIn Sales Navigator. Isto ajuda-te a encontrar e contactar potenciais clientes.

O Xing, por outro lado, tem um carácter diferente do LinkedIn. Postar artigos no próprio perfil ou numa página da empresa, por exemplo, não é tanto o foco aqui. A vida acontece mais nos cerca de 85.000 grupos. Aqui podes-te conectar de forma fantástica com pessoas que pensam da mesma maneira, trocar ideias e provar os seus conhecimentos (ou aprender algo novo).

Redes pessoais: Facebook, Instagram e companhia

A vida não é só trabalho - ou pelo menos não deveria ser. E para isso, há uma variedade de redes que são principalmente para uso privado e pessoal. Embora a venda direta e a publicidade possam não correr tão bem aqui, estas plataformas ainda podem desempenhar um papel importante no teu marketing.

Afinal de contas, as pessoas ainda preferem comunicar com pessoas. Além disso, as nossas decisões são frequentemente maisbaseadas em razões irracionais e emocionais do que aquelas pelas quais nos damos crédito (ver economia comportamental). Portanto, uma agência ou freelancer deve ser agradável ao seu grupo-alvo e parecer digno/a de confiança. E é exatamente isto que podes conseguir em plataformas de redes sociais como o Facebook, Instagram, Twitter e companhia.

Além disso, não subestimes o poder das recomendações diretas. Se a tua rede sabe naquilo que estás a trabalhar e qiuais são as tuas capacidades, é mais provável que as pessoas te recomendem quando virem conteúdo adequado. Vamos ver mais de perto algumas dessas redes sociais:

Facebook

O Facebook é especialmente útil com os seus numerosos grupos. Podes também usar a tua própria página de perfil para conteúdo profissional de vez em quando. Isto é especialmente válido se manténs os teus posts pnuma linha mais pessoal e não tentas ser um/a vendedor/a. Novos projetos, novas aprendizagens, ideias e pensamentos da tua área, experiências de sucesso particulares: podes partilhar tudo isso com os teus contactos.

Claro que também podes criar uma página no Facebook para ti próprio/a enquanto freelancer ou agência. É geralmente mais difícil conseguir-se aqui um alcance significativo.

Facebook Ads para principiantes

Os anúncios pagos no Facebook - os Facebook Ads - podem ser muito eficazes. Nós na RAIDBOXES temos notado isto repetidamente. No nosso guia sobre anúncios do Facebook, explicamos passo a passo como montares a tua primeira campanha e alcançares o teu grupo-alvo.

Instagram

O Instagram passou por uma enorme transformação desde que se tornou parte do Facebook, e tem crescido consideravelmente em termos de número de utilizadores. Tem cerca de 21 milhões de utilizadores/as só na Alemanha, e até um bilião em todo o mundo.

A variedade de formatos de conteúdo é agora aqui enorme. Enquanto tudo girava em torno de fotos quadradas, agora há também as muito bem sucedidas "stories", as "reels" inspiradas no TikTok, as coleções de locias, produtos ou publicações chamadas "Guides", bem como IGTV, uma oferta para vídeos mais longos.

Posto Instagram RAIDBOXES
Um olhar nos bastidores: Post da RAIDBOXES no Instagram

O que permanece é o foco no conteúdo visual. Claro, isto funciona especialmente bem para temas e áreas como a moda, que são visuais por natureza. Mas a plataforma também pode ser usada por ti enquanto desenvolvedor/a web. Desta forma, poderias usar a função "story" para publicares pequenos "how-to" ou mostrar bons exemplos. Ou podes mostrar os bastidores do teu trabalho. Com os ""guides", podes apresentar posts úteis que tu mesmo publica ou guardas noutros perfis.

Cada perfil pode ser convertido num "perfil de negócios". Em troca, obténs, entre outras coisas, melhores estatísticas e podes oferecer contacto direto no teu perfil. Ao mesmo tempo, não há desvantagens diretas para o alcance do teu conteúdo. Além disso, com um perfil de negócios do Instagram tens ainda as mesmas possibilidades e funcionalidades que uma pessoa privada. Neste sentido, só há vantagens em utilizar esta opção.

YouTube

O YouTube é um híbrido de motor de busca visual e rede social. Por um lado, podes criar um perfil aqui e recolher subscritores que seguem as tuas atividades diretamente. Por outro lado, os teus vídeos ainda podem ser encontrados semanas, meses ou mesmo anos mais tarde. Esta é uma vantagem que não deve ser subestimada em comparação com muitas outras plataformas de rede social.

Se não fores muito tímido/a na frente da câmera, eu definitivamente recomendaria estar ativo aqui. Também não tem de ser uma obra-prima. Vídeos explicativos e de dicas/conselhos são uma boa ideia. Eles mostram a tua experiência e (se tudo correr bem) fazem-te parecer competente e digno de confiança. E se ainda te sentes inseguro/a: pratica, pratica, pratica. Muitos dos canais de sucesso do YouTube de hoje começaram pequenos e humildes. Desde que saibas do que estás a falar e consigas transmiti-lo bem, o resto virá com a rotina.

No início, podes realizar os teus vídeos com meios relativamente simples. O teu smartphone, um tripé e talvez um anel de luz são suficientes. Ou podes começar com uma (boa) webcam. O potencial alcance é enorme: de acordo com estudos, até 65% da população com 14 anos ou mais usa esta plataforma.

Twitter, Snapchat, TikTok, Pinterest, Clubhouse e mais....

O Twitter, o Snapchat, o TikTok, o Pinterest e a ainda muito recente App de áudio Clubhouse são ofertas de nicho entre as plataformas de redes sociais, cada uma com um foco muito claro. Seria ir longe demais falar sobre todas elas aqui.

Cada uma delas pode ter um potencial interessante e são especialmente adequadas se tu "apenas sentires vontade". Porque, sim: as redes sociais também podem ser divertidas. Mesmo. E mesmo que este artigo seja principalmente sobre como podes usar estas plataformas em termos profissionais, isto não deve ser esquecido.

Porque no final do dia, como já foi mencionado, só poderás manter ativamente alguns perfis. E entre eles também devem estar aqueles de que gostas. Os teus seguidores e seguidoras vão notar a diferença.

Ferramentas para análise das redes sociais

Outra base para a tua decisão devem ser os números concretos. E isto de dois pontos de vista:

  1. Até que ponto é realmente bem sucedido o que tens estado a fazer até agora?
  2. Quão bem sucedidos são os/as outros/as na tua área?

Em relação ao ponto 1, a maior dificuldade é encontrar os números certos para medir o teu sucesso. Como eu escrevi no meu artigo sobre KPIs de conteúdo, os valores realmente interessantes são muitas vezes os mais difíceis de descobrir. Isto, porque obviamente tu podes, através de uma visão geral, perceber se ganhaste ou perdeste seguidores/as, mas o que é que isso significa exatamente para o sucesso do teu negócio? Primeiro que tudo, quase nada.

A taxa de cliques num post de redes sociais é mais interessante. As redes sociais muitas vezes já te fornecem tais números gratuitamente. Graças aos parâmetros UTM e a uma ferramenta de análise da Web adequada, podes, por exemplo, acompanhar adicionalmente quantos downloads de whitepaper surgiram através do teu artigo no LinkedIn. Isto não é mau de todo.

Para o segundo ponto, a análise da concorrência, na verdade é ainda mais difícil. Porque aqui só vais ver os números que são tornados públicos. Assim, vês os/as seguidores/as (moderadamente interessante) e podes ter uma ideia da taxa de interação, olhando para quantos gostos e comentários existem (um pouco mais interessante). Mas, infelizmente, não consegues ver quantas vendas saíram no final.

Com esta limitação em mente, começas a tua análise e usas ferramentas como a busca gratuita do Talkwalker para te ajudar. Por exemplo, podes usá-lo para ver quanta resposta a hashtag-ação da tua concorrência alcançou ou quem está a falar de ti nas redes sociais. Outros exemplos são mention, quintly ou Fanpagekarma. Para empresários/as individuais, serviços tão abrangentes podem, por vezes, ser demasiado caros. Logicamente, o cálculo é diferente se os utilizares em paralelo para os teus e tuas clientes.

A minha conclusão sobre as plataformas de redes sociais

Naturalmente, as plataformas de redes sociais empresariais LinkedIn e Xing são frequentemente recomendadas em primeiro lugar quando se trata do uso empresarial de redes sociais. Isto é especialmente verdade no sector B2B e também faz todo o sentido. Mas gostaria de enfatizar mais um ponto aqui, que já expliquei acima: plataformas como o Facebook ou o Instagram podem ser igualmente excelentes para ti. Também aqui as pessoas falam do seu trabalho, dos seus sucessos, dos seus planos.

Ao mesmo tempo, não deves subestimar a importância do lado humano quando se trata de decisões empresariais. Se ficares de olho no real sucesso das tuas atividades, mais cedo ou mais tarde isto trar-te-á benefícios.

As tuas perguntas sobre as plataformas de redes sociais

Que perguntas tens para o Jan? Escreve-lhe nos comentários. Queres ser informado/a sobre novos artigos acerca de marketing online? Então segue-nos no Twitter, Facebook, LinkedIn ou através da nossa newsletter.

O Jan é jornalista online e especialista em publicações digitais, com mais de 20 anos de experiência profissional. As empresas contratam-no como autor, consultor ou editor-chefe. É também o fundador e um dos editores da revista UPLOAD. Imagem do fotógrafo: Patrick Lux.

Artigos relacionados

Comentários sobre este artigo

Escreve um comentário

O teu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.